quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

CATÃO DA STA LOURDES-TAMBÉM FAZ PARTE DO TIME DE REPRODUTORES CAPRIL ESTRELA/CONDOMINIO ANGLO DE VALOR

PRESIDENTE:OUTRO IMPORTANTE REPRODUTOR DO CAPRIL ESTRELA/CONDOMINIO ANGLO DE VALOR

GRANDE MAJESTADE

GRANDE MAJESTADE

GRANDE MAJESTADE-Reprodutor importante do CONDOMINIO ANGLO DE VALOR/CAPRIL ESTRELA, o BODE mais premiado nas pistas do Ceará.

QUANDO EXISTE TRABALHO E DETERMINAÇÃO É ASSIM, PARABÉNS DR. FRANCISCO LEITÃO.

Prezados Criadores,

Repassamos abaixo as sábias palavras transcritas pelo amigo Jeovah Maciel, enaltecendo o árduo caminho percorrido por pessoas que demonstram na trajetória de suas lutas, um amor incondicional ao nosso Ceará. Foi com esse magnífico interesse que conquistamos a tão sonhada mudança da condição de risco desconhecido para risco médio.

Parabéns a todos os criadores que acreditaram no sucesso dessa campanha.


A Diretoria







Bons amigos, irmãos:

Particularmente, sequer consigo mensurar o tempo, vivenciei o terror das barreiras que nos isolavam de estados outros proporcionados pelo "risco" da febre-aftosa. Nunca, porém, deixei de crer que passaríamos de um estágio a outro e que nos permitiriam trafegar e mostrar em outras regiões o potencial dos nossos criatórios.
Ontem, permiti à minha humílima pessoa a alegria de, através de uma ligação do nosso atencioso Presidente Leitão Moura, ver um sonho realizado.
Essa alvíssara, creiam, chegou num momento em que eu precisava de algo parecido, e como precisava...
Hoje, estou correndo por uma raia muito distinta das dos senhores, entretanto, por achar que a gratidão é o maior dos sentimentos do homem, cabe-me o dever de manifestar ao Presidente Leitão, por sua luta, por sua tenacidade, os mais sinceros agradecimentos por ter proporcionado a concretização de um dos sonhos deste signatário.
Fui denominado de sonhador, de poeta, só não de louco que é o que mais sou, mas nunca descri e sempre tive a certeza de que apareceria um homem que levantasse a bandeira daquela amarga contenda.
O nosso querido Ceará não merecia o castigo dessas barreiras!
Sabemos que o Leitão sozinho não conseguiria esse intento, ele, porém foi o carro chefe, um grande enviado para chegar junto ao brilhante Secretário Camilo Santana, para chegar junto grande Governador Cid Gomes e ficar martelando-lhes os ouvidos por essa nobre causa.
Não é segredo que estou, por conta de outros afazeres, afastado (não ausente), e, essa condição permite a mim dar esse depoimento, sem grilhões, como sempre procurei fazer.
Permitam-me o desabafo: o sonhador, o poeta está aqui, dando boas gargalhadas dos que não possuem a graça de crer nos trabalhos de verdadeiros homens.
Criadores, reflitam, essa vitória é de vocês, sintam quão importante foi essse presente de Natal!

Muita paz para todos,

Jeovah Maciel
85 9982 4301
jeovahMaciel@yahoo.com.br


"As religiões são lindas flores, provenientes do mesmo jardim.
Ou são ramos da mesma árvore majestosa. Portanto, são todas verdadeiras."

(Gandi)

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

CEARÁ SEM FRONTEIRAS

Ceará sai da área de risco desconhecido da febre aftosa.

O anúncio foi feito pelo governador Cid Gomes durante lançamento do Hora de Plantar, no Cariri.


A classificação sanitária da Febre Aftosa no Ceará passou de “área de risco desconhecido”, para “área de risco médio”. A notícia histórica foi dada nesta segunda-feira (21) pelo governador Cid Gomes durante o lançamento do programa Hora de Plantar em Juazeiro do Norte, na Região do Cariri, que foi comunicado por telefone pelo próprio ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Reinhold Stephanes.
“O que possibilitou o Ceará a sair do risco desconhecido foi um conjunto de fatores como a vacinação por três anos seguidos, diálogo permanente com o Ministério e o concurso para novos agentes. O Ceará poderá comercializar carne e, sobretudo, produtos laticínios que é uma das grandes potencialidades do Estado”, disse o Governador.
A Instrução Normativa coma nova classificação será publicada no Diário Oficial da União (DOU) de terça-feira (22). A conquista chega depois de esforço intensivo nas campanhas de vacinação que, em outubro, durante a segunda etapa, atingiu o recorde de 88,4% de imunização do rebanho. Na primeira etapa desse ano, que aconteceu no mês de abril, o índice foi de 85,8%. Outro número ultrapassado foi a quantidade de animais vacinados: 2,074 milhões de bovinos, das 2,3 milhões de cabeças cadastradas no Estado.
De acordo com o secretário do Desenvolvimento Agrário, Camilo Santana, a notícia já era esperada já que, nas últimas campanhas de vacinação contra a febre aftosa, o Ceará vinha conseguindo índices superiores a 80%. “A expectativa era muito grande, porque estávamos todos muito empenhados nessa missão. Agora caem as barreira para comercialização entre outros estados, podemos ter melhores investimentos no setor e, em 2010, queremos ter o Ceará no status “livre de aftosa com vacinação”, destacou o secretário.
A mudança foi autorizada após avaliações técnicas e auditorias realizadas pelo Mapa que constataram melhorias na qualidade e na capacidade técnica-operacional dos serviços veterinários no Ceará, relacionados à execução do Programa Nacional de Erradicação de Febre Aftosa (PNEFA).
Entre as ações empreendidas para tirar o Ceará do Risco Desconhecido está o trabalho conjunto entre a Secretaria do Desenvolvimento Agrário, Adagri e Ematerce, que intensificaram as campanhas de vacinação, realizaram concurso público para a Agência contratando 76 novos profissionais, além de terem concluído o cadastro agropecuário informatizado (Sidagro).
Em 2009, seis municípios vacinaram 100% dos seus rebanhos: Chaval, Martinópole, Uruoca, Maracanaú, Piquet Carneiro e Barroquinha, e o programa contou com o apoio de agentes de saúde da Secretaria de Saúde do Estado (Sesa), do Departamento Estadual do Trânsito (Detran), do Comando de Policiamento Rodoviário (CPRv), da Secretaria da Fazenda e da Polícia Rodoviária Federal.
Uma das exigências do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) para mudar a classificação de risco em relação à febre aftosa é que o Estado conheça seu público e mantenha o cadastro atualizado. “Hoje sabemos qual o tamanho do rebanho e quantos animais foram vacinados no Estado. Esse é um grande presente de Natal para todos nós”, disse Camilo.

segunda-feira, 25 de maio de 2009

O ANGLO CAMPEÃO DO CEARÁ.


O CONDOMINIO ANGLO DE VALOR ESTARÁ DISPONIBILIZANDO PARA ENTREGA NO FINAL DE JUNHO DE 2009, DOSES DE SEMEM DO GRANDE MAJESTADE, OS INTERESSADOS DEVEM FAZER SUAS RESERVAS PELO FONE 85.32.24.09.31 E 85.96277736

sexta-feira, 27 de março de 2009

GRANDE MAJESTADE


Uma das grandes atrações da 30. edição da tradicional Exposição de Ovinos e caprinos(expoece), que foi realizada durante os dias 25/26 de agosto, no municipio de Quixadá, foi o bode anglonubiano Grande Majestade. O caprino pertence ao capril Estrela de propriedade de Arthuro José de Lucena Aragão, animal com o impressionante peso de 140 Kg.O Capril Estrela fica localizado no municipio de Horizonte-Ce, foi eleito o grande campeão do evento agropecuário Expoece, em Quixadá.

quarta-feira, 25 de março de 2009

FENO DE CAPIM ELEFANTE.

Produção de feno de capim-elefante em pequena escala





Atender as exigências nutricionais dos animais é fundamental para que ganhem peso em tempo compatível com o sistema de abate. Sendo assim, o fornecimento de volumoso de boa qualidade é uma prática fundamental e deve ser cuidadosamente planejada para atender às necessidades do rebanho, em níveis adequados, para que os animais atinjam o peso ideal de abate em menor espaço de tempo. Essa estratégia certamente proporcionará viabilidade econômica ao setor pecuário, sendo necessário apenas possuir visão amplia e integrada do processo produtivo.
Uma das formas de garantir volumoso com boa qualidade o ano todo é a produção de feno durante a fase de crescimento das forrageiras (verão); porém, a produção convencional de feno exige a utilização de implementos específicos que, via de regra, possuem valor elevado. Uma forma de produzir feno, com excelente valor nutritivo para ser fornecido ao rebanho o ano todo e com custo baixo, é utilizar a produção de verão da capineira de capim-elefante. Essa espécie forrageira possibilita a produção de feno com excelente valor nutritivo e de forma econômica, pois não há necessidade de implementos específicos e caros; são necessários apenas alguns cuidados básicos: bom manejo da capineira, colheita do capim quando este estiver com idade adequada e desidratação e armazenagem em local adequado.
O feno de capim-elefante é uma excelente opção para produtores que não dispõem de implementos específicos para produção feno e as atividades podem ser realizadas em sistema familiar ou com reduzido número de funcionários.
A seguir serão abordadas as principais etapas necessárias à produção de feno de boa qualidade, enfocando as estratégias importantes que devem ser adotadas para que o feno de capim-elefante tenha bom valor nutritivo e possa ser armazenado por longo período.
Idade de corte: Uma das principais características que torna o capim-elefante adequado para produção de feno é a alta proporção de folhas e a presença de caules finos em determinadas cultivares (como por exemplo o guaçu, lançado pelo Instituto de Zootecnia), que, além do bom valor nutritivo, facilitam a rapidez na desidratação, logicamente isso ocorre quando todo o processo é feito de forma adequada. A fase ideal para produzir o feno com excelente valor nutritivo é quando o capim estiver com idade entre 30 e 65 dias; dentro dessa faixa de idade a forrageira tem baixo teor de fibra, elevado teor protéico e alta digestibilidade.
Capim-elefante cultivar Guaçu

Colheita: Pode-se utilizar uma ensiladora para colher e picar o capim ou realizar a colheita manualmente e fracioná-lo em picadeira estacionária. As partículas devem ser pequenas (± 5 cm) para que a secagem se processe de forma rápida.
Colheita do capim-elefante com ensiladora.

Desidratação: Todas as etapas da produção são importantes para obtenção de feno de boa qualidade, mas a desidratação é a prática que exige especial atenção. Essa etapa deve ser concluída com rapidez, pois quanto mais lento for o processo de desidratação da forragem, maior será a perda quantitativa e qualitativa. Se a desidratação não for realizada corretamente e a forragem for armazenada com teor elevado de umidade, certamente perder-se-á toda a produção, resultando em prejuízo econômico. Feno armazenado com elevado teor de umidade (acima de 15%) favorece o desenvolvimento de microrganismos que causam mofo e são nocivos à saúde dos animais. A secagem do capim-elefante é realizada de forma simples, basta espalhar a forragem picada sobre um piso pavimentado e a camada deve ser fina para que a secagem se processe de forma rápida.
Revolvimento: Essa prática auxilia na rapidez da desidratação e deve ser realizada pelo menos a cada hora. Pode-se utilizar rastelo, forca ou qualquer ferramenta que possibilite o revolvimento das partículas do capim.
Armazenamento: A armazenagem é simples e barata e pode ser feita em sacos de ráfia ou a granel. Independente da forma de armazenamento é importante que as condições sejam seguras para que o feno permaneça com bom valor nutritivo e possa ser preservado por longo período. O local de armazenamento deve ser livre de umidade, bem ventilado e sem incidência direta de radiação solar sobre o feno e esse não deve ser colocado diretamente sobre o piso, pois poderá ocorrer transferência de umidade para a forragem.
Feno de capim-elefante armazenado em sacos de ráfia ou plástico.

Aceitabilidade Os animais consomem muito bem o feno de capim-elefante, pois é um volumoso de alta aceitabilidade e proporciona bom ganho de peso, sendo obtido ganho de 190 g/dia/ovino da raça Santa Inês.
O feno de capim-elefante tem excelente aceitabilidade pelos animais

O sucesso na pecuária, entre outros fatores, está no planejamento para produção e conservação de forragem de boa qualidade e o feno de capim-elefante é uma forma de armazenamento de forragem para ser utilizada o ano todo, principalmente na época seca, garantindo, assim, disponibilidade de volumoso com bom valor nutricional. Essa estratégia é um dos suportes utilizados para garantir o abastecimento de carne e leite no mercado o ano todo.

Para produzir feno de capim-elefante com bom valor nutritivo não há necessidade de adoção de tecnologias complicadas e difíceis de serem executadas; ao contrário, é um processo relativamente simples, que exige apenas estratégias ou cuidados básicos para que o valor nutritivo da planta seja preservado. Desde que adequadamente produzido e armazenado, resguardando todos os cuidados necessários para a preservação do valor nutritivo, o feno será bem aceito pelos animais, o que refletirá positivamente na lucratividade do empreendimento, pois quanto melhor for a qualidade do feno menor será o gasto com concentrados para suprir as necessidades nutritivas dos animais.

sexta-feira, 6 de março de 2009

É FANTÁSTICO


E tem gente que não acredita que o caprino apronta dessas.!!

quinta-feira, 5 de março de 2009

ANAYLE DO ALTO DA ESTRELA


Elegância, porte, linha de dorso perfeita, esta serve de colírio para os admiradores da raça ANGLO

segunda-feira, 2 de março de 2009


LUMA DO ALTO DA ESTRELA- 07006


Luma do Alto da Estrela 07006-Cabra de 2. Cria, tendo produzido na 1. cria mais de 6 litros de leite, irmão propria do Grande Majestade, e irmã de barrigada do Xerife, cabrito campeão da Nacional no Crato.

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

EXPOSIÇÃO DE ITAPAJÉ- CEARÁ

Majestade e Edilson, seu fiel tratador


Majestade e Bonequinha da Panacuí


Exposição de Itapagé.

NOVA SAFRA DE PISTA PARA 2009

Nanana do Alto do Estrela


Iluminada do Alto do Estrela


NANANA DO ALTO DO ESTRELA


NANANA DO ALTO DA ESTRELA.

Filha do Grande Majestade com a cabra Bonequinha

do Panacuí.

PERFEIÇÃO DO ALTO DA ESTRELA.

FSA HB IPÊ X COLUMIJUBA.

Quixinha- Do Alto do Estrela


Quixinha do Alto da Estrela.

Filha do Grande Majestade com cabra Quixadá da Estrela.

Columijuba do Alto da Estrela.

Filha do Toy do Jericó com cabra Columijuba.


Princesinha do Alto da Estrela.

Filha do Grande Majestade com Estrela

do agreste da Panacuí.

Ferrugem do Alto do Estrela.

Filho do Grande Majestade com Lolita da Panacui,

Campeã concurso leiteiro EXPOINVERNO 2008

Belissima do alto da estrela


BELISSIMA.

fILHA DO TOY DO JERICÓ COM CABRA

COLUMIJUBA.

Você sabia.....?

...Que o homem primitivo fabricava queijos do leite de cabras, mas não do leite de vaca? É que o queijo de vaca só foi descoberto cerca de 3000 anos depois.
....Que as regiões atingidas pela seca são as que mais consomem carne de cabra?Porque os caprinos escapam das secas, fugindo para as caatingas.
....Que em um mesmo hectare pode-se produzir por ano, em torno de 500Kg de peso vivo de cabrito? Se a criação for de bovinos, a produção será apenas de 150Kg de peso vivo.
....Que todos os caprinos machos de qualque idade, exceto os cabritinhos de até 1 mês, devem ser castrados? A castração é indicada para uma melhor qualidade da carne a fim de que ela fique mais macia, saborosa e não retenha o cheiro caracteristico dos bodes mais velhos.
....Que um secretário de agricultura mencionou, após fazer as contas, que o abastecimento do estado de São Paulo precisa ser de 28 milhões de cabeça de caprinos e ovinos? Hoje mal chega a 2,5 milhões.

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

MANEJO SANITÁRIO

Manejo Sanitário
Verminose, Linfadenite caseosa ou mal-do-caroço, Ectima contagioso ou boqueira, Pododermatite ou frieira, Pediculose (piolhos), Miíases ou bicheiras, Sarna
Os caprinos são acometidos por várias doenças, entre as quais, a linfadenite caseosa (mal-do-caroço), o ectima contagioso (boqueira), a pododermatite (frieira), além das doenças causadas por ectoparasitas, como piolhos, miíases (bicheiras) e sarnas e, principalmente, aquelas causadas por endoparasitas (verminose).
VerminoseA verminose é uma doença causada por helmintos ou vermes que vivem, principalmente, no abomaso (coalho) e intestinos dos animais, podendo atacar todo o rebanho. Quando acometidos pelos vermes, os caprinos se tornam fracos, magros, com pêlos arrepiados, apresentando diarréia, edema submandibular (papada) e anemia.
A verminose é a doença que mais mata caprinos, sobretudo, os animais mais jovens. Os seus principais prejuízos são:
Diminuição dos índices de parição.
Diminuição do crescimento dos animais.
Diminuição da produção de leite.
Aumento do número de mortes no rebanho.
Recomenda-se vermifugar periodicamente todos os caprinos da propriedade, a fim de evitar que animais não medicados venham a contaminar os pastos com os ovos dos vermes presentes nas suas fezes. Pesquisas realizadas sobre o controle da verminose no Estado do Piauí ressaltam a necessidade de se realizar cinco vermifugações por ano, sendo três no período seco e duas no período chuvoso. Na época seca há poucas condições de sobrevivência das larvas dos vermes nas pastagens. A vermifugação, nesse período, reduz a infecção no animal e evita que o mesmo fique com uma carga muito grande de vermes na época das chuvas.
Verificar na embalagem do produto, a quantidade de dias que o produtor deve esperar para utilizar o leite e a carne dos animais vermifugados (carência), se o produto é indicado para o rebanho caprino e qual a quantidade que deve ser aplicada em cada animal. É importante observar, no momento da compra do vermífugo, a validade ao produto.
A dose do vermífugo depende do peso de cada animal. Se o criador estimar o peso do animal de modo empírico (no olho), ele deve ter o cuidado de calcular a dose do produto para um peso superior ao estimado, já que uma dose abaixo das necessidades do animal, além de não controlar os vermes, causa também a resistência destes ao produto.
Os produtos utilizados no controle da verminose dos caprinos são anti-helmínticos com vários princípios ativos (Tabela 17). Recomenda-se mudar o princípio ativo a cada ano, a fim de evitar que os vermes adquiram resistência. O criador poderá optar por produtos que apresentem preços menores ou por produtos que sejam encontrados mais facilmente nos locais de venda.
Tabela 17. Principais anti-helmínticos utilizados no controle da verminose dos caprinos.
A melhor maneira de aplicar vermífugos nos caprinos é por via oral, porque é mais prático e evita o uso de injeções, que podem ajudar a espalhar o "mal-do-caroço" ou outras doenças (Figura 19). Além disso, o vermífugo administrado por via injetável pode provocar intoxicação e matar o animal, se a dose aplicada for maior do que a recomendada. Figura 19. Forma de aplicação de vermífugo por via oral.
No sistema modelo conduzido na comunidade Boi Manso, a implementação do programa de vermifugação estratégica, com vermifugações nos meses de janeiro, abril, junho, agosto e outubro resultou em redução significativa da carga parasitária nos caprinos, estimada pelo número de ovos por grama de fezes (OPG), obtido antes e após o início das vermifugações (Figura 20). Figura 20. Representação do ciclo de vida dos principais vermes dos caprinos.
Dentre as medidas que auxiliam no controle da verminose, destacou-se:
Limpeza das instalações diariamente (Figura 21)
Desinfecção das instalações uma vez por mês, utilizando produtos como: formol comercial a 5%, cal virgem a 40%, Iodophor a 1% e hipoclorito de sódio a 2%.
Remoção e manutenção das fezes acumuladas em locais distantes.
Vermifugação do rebanho ao trocar de área.
Rotação de pastagens.
Controle da superlotação nas pastagens.
Incorporação ao rebanho de animais adquiridos em outros locais, somente após a sua vermifugação.
Figura 21. Higiene das instalações.
Linfadenite caseosa ou mal-do-caroçoÉ uma doença contagiosa, causada por uma bactéria que se localiza nos linfonodos ou landras, produzindo abscessos ou caroços. Os caroços podem aparecer em vários locais e sua presença causa desvalorização da pele e também da carne.
É importante evitar que os abscessos se rompam naturalmente. Portanto, quando o caroço estiver mole, ou maduro, o criador deve fazer o seguinte:
Cortar os pêlos e desinfectar a pele, no local do caroço, com solução de iodo a 10%.
Abrir o abscesso para a retirada do pus.
Aplicar a tintura de iodo a 10% dentro do caroço.
Aplicar o mata-bicheiras para evitar varejeiras.
Queimar o pus retirado e limpar os instrumentos utilizados.
Isolar os animais doentes.
Além do corte do caroço, deve-se examinar os animais no momento da compra, tendo o cuidado para não adquirir aqueles que apresentem tal problema. Quando animais do rebanho apresentarem caroço por duas ou três vezes seguidas, devem ser descartados.
Ectima contagioso ou boqueiraÉ uma doença contagiosa causada por vírus, que ocorre com mais freqüência nos animais jovens podendo, entretanto, atingir também os adultos.
Inicialmente, aparecem pequenos pontos avermelhados nos lábios. Posteriormente, há formação de pústulas que se rompem, secam e se transformam em crostas, semelhantes a verrugas.
Além dos lábios, pode haver formação de pústulas na gengiva, narinas, úbere e em outras partes do corpo. Os lábios ficam engrossados, sensíveis e os cabritos têm dificuldade de se alimentar, vindo a emagrecer rapidamente.
Para evitar que os animais atingidos por essa doença venham a contaminar o rebanho, os seguintes cuidados devem ser tomados:
Isolamento dos animais doentes.
Retirada das crostas com cuidado.
Uso de glicerina iodada:
Iodo a 10% - 1 parte
Glicerina - 1 parte
Uso de pomadas cicatrizantes.
Pododermatite ou frieiraÉ uma doença contagiosa, causada por bactérias. Provoca uma inflamação na parte inferior do casco e entre as unhas. Ocorre com maior freqüência no período chuvoso, quando os animais são mantidos em áreas encharcadas.
O sinal mais evidente da doença é a manqueira. Os animais têm dificuldade para andar, permanecem quase sempre deitados, se alimentam mal e emagrecem, podendo vir a morrer.
Para o tratamento da frieira, são recomendados os seguintes procedimentos:
Separação dos animais doentes do restante do rebanho.
Realização da limpeza dos cascos afetados.
Tratamento das lesões com alguns desinfetantes.
Solução de tintura de iodo a 10%.
Solução de sulfato de cobre a 15%.
Solução de ácido pícrico (cascofen).
Nos casos graves, recomenda-se a aplicação de antibióticos. Entretanto, existem meios para prevenir a ocorrência de frieiras, tais como:
Manutenção das criações em lugares secos e limpos.
Aparação periódica dos cascos deformados.
Construção de pedilúvio na entrada dos chiqueiros, devendo abastecê-lo uma vez por semana, com desinfetantes específicos. O pedilúvio deve ser construído e localizado de modo a forçar os animais a pisarem nesses materiais quando de sua entrada nos chiqueiros. O volume da solução a ser utilizado com qualquer dos produtos deve ser suficiente para cobrir os cascos dos animais.
O pedilúvio consiste em um tanque feito de tijolos e argamassa de cimento, que deve ser construído na entrada do curral, aprisco ou chiqueiro. Tem a finalidade de fazer a desinfecção dos pés dos animais.
Dimensões do pedilúvio:
2,0 m de comprimento.
0,10 m de profundidade.
Largura: correspondente à largura da porteira.
Proteção lateral com cerca de arame liso ou ripas de madeira de 1,20 a 1,40 m de altura.
Os seguintes desinfetantes podem ser utilizados no pedilúvio:
Solução de formol comercial a 10%.
Sulfato de cobre a 10%.
Cal virgem diluída em água a 40% (alternativo de criação de caprinos).
Pediculose (piolhos)As criações de caprinos que não possuem as condições higiênicas satisfatórias, geralmente apresentam-se infestadas por piolhos. Existem dois tipos de piolhos: mastigador (Malófago) e sugador (Anoplura).
Os piolhos ocorrem durante todos os meses do ano, porém, com maior intensidade na época seca. A presença dos piolhos em um rebanho pode ser facilmente detectada pelo exame dos pêlos dos animais, preferencialmente, na linha dorso lombar e na garupa. No entanto, os piolhos podem se localizar em outras regiões do animal, causando coceira e irritação da pele, inquietação e emagrecimento, podendo levar os animais à morte.
Os piolhos podem ser controlados mediante pulverização ou banho dos animais com produtos a base de piretróides (produtos de baixa toxicidade). Também pode ser utilizada uma calda a base de Melão-de-São-Caetano. Essa calda deve ser bem forte, podendo ser obtida a partir de um quilo de folhas verdes de Melão-de-São-Caetano para cada 10 litros de água. As folhas devem ser maceradas ou trituradas e misturadas à água. Após esse processo, a mistura deve ser filtrada (coada) com pano e utilizada para banhar os animais.
Quando da aplicação de produto químico para controle dos piolhos, os seguintes cuidados devem ser tomados:
Aplicar o produto de preferência pela manhã.
Misturar o produto com água, de acordo com a recomendação do fabricante.
Repetir o tratamento após dez dias.
Para evitar a ocorrência de piolhos nos caprinos, devem ser realizadas inspeções periódicas do rebanho, para detectar a possível ocorrência do parasita. Além disso, deve-se evitar a entrada de animais com piolhos na propriedade.
Miíases ou bicheirasAs miíases ou bicheiras são causadas por larvas de moscas conhecidas como varejeiras. As bicheiras podem causar problemas sérios, como a destruição do úbere e dos testículos, além de causar otites e outras complicações, desvalorizando a pele do animal. A mais importante causadora de miíases é a mosca Cochliomyia hominivorax, de coloração verde-metálica (mosca varejeira). Os animais com bicheiras ficam sem apetite, inquietos e magros. Se não forem tratados podem morrer.
As bicheiras devem ser tratadas com substância larvicida, limpeza da ferida, retirada das larvas e aplicação de repelentes e cicatrizantes no local afetado, diariamente, até a cicatrização. Entretanto, estas podem também ser evitadas pelo tratamento do umbigo dos animais recém-nascidos com tintura de iodo a 10% e mediante o controle das moscas, através da limpeza nas instalações. Devem-se tratar todas as feridas que forem vistas nos animais, principalmente na época chuvosa.
A tintura de iodo a 10% pode ser obtida através dos seguintes ingredientes:
Iodo em pó 10 g
Iodeto de Potássio 6 g
Álcool 95 ml
Água destilada 5 ml
Caso o criador não disponha dos ingredientes necessários à confecção da tintura, pode adquirir o produto já pronto nas farmácias.
SarnaA sarna é uma parasitose causada por ácaros, que são parasitas muito pequenos, medindo menos de 1 mm.
Os caprinos, geralmente, são acometidos pela sarna auricular, conhecida como caspa do ouvido, e sarna demodécica, conhecida como bexiga, que danifica o couro do animal.
a) Caspa do ouvido
Realizar a limpeza do ouvido, retirando as crostas com algodão embebido em uma solução de iodo a 10%.
Usar sarnicida no local.
Usar repelentes para evitar bicheiras.
b) Bexiga
Não comprar animais com bexiga.
Controlar a superlotação nos apriscos.
Tratar os animais doentes com ivermectin, aplicado por via subcutânea, a uma dose de 0,2 mg por quilograma de peso vivo, em uma única dose.
Os animais doentes devem ser separados e tratados com sarnicida de uso tópico ou geral. Aqueles animais que, porventura, não melhorarem com a aplicação do remédio devem ser descartados do rebanho.

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

O pequeno Gabriel.



A paixão pelo ANGLO já vem do berço, Sergio Aragão, Francisco Aragão e Gabriel Aragão um apaixonado pela raça.

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Coca-Cola


É Apolo 250 da Santa Fé, com cabra do CNPC filha do Dustim, Animal de rara beleza.

MAJESTADE.


É anglo 1391 do CNPC com cabra Quixadá da Panacui,o 1391 é filho do Elixir da emapa e a Quixadá é filha do Carnaval do Riacho, animal que transmite suas caracteristicas a todos os filhos.

PROGÊNIE DO GRANDE MAJESTADE


Alto da Estrela 07005- Campeão cabrito Jr. EXPOCRATO 2008-Pertence hoje à Arnaldo Lima e Capritec


Alto do Estrela 07005

Campeão Cabrito Jr. EXPOCRATO

2008-Pertence hoje a Arnaldo

Lima e Capritec.







EDUARDO-ARTHURO-CAMBRAIA.


segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

MUDANÇA RADICAL

DAS SAANEN PARA AS ANGLO NUBIANAS
Por Silvio Doria e Anamaria Ribeiro

Nos idos de faz muito tempo, e põe muito tempo nisso,Policarpo de Almeida e o Capitão João Pedro Ribeiro iniciaram suas atividades na caprinocultura.Suas famílias se uniram com o casamento de Maria de Almeida e Estulano Ribeiro, dando origem à familia Almeida Ribeiro,que cria cabras até hoje.Durante esses quase 130 anos na atividade,muitas coisas mudaram: os objetivos da criação e a maneira de criar,a importância da caprinocultura para a família e,naturalmente, a raça criada.A permanência na atividade durante tanto tempo se deve a dois motivos básicos:O amor pelas cabras e exatamente essa capacidade de se adaptar às novas situações.Ao longo dessa história,já criamos cabras Alpinas,Anglo-Nubianas,Saanens e Toggenburgs,em momentos diferentes ou simultaneamente,embora nos dedicássemos exclusivamente às Saanens nos últimos 15 anos, e talvez por isso nossa imagem esteja tão fortemente ligadas a elas.Porém, no inicio desse ano, deixamos de cria-las,encerrando ao operações do Capril Serra de Andradas, e retornamos nosso trabalho com as Anglo-Nubianas, dando inicio ao Capril Capritec.Essa mudança vem gerando comentários, nem sempre fidedignos, e até mesmo maldosos.Algumas vezes por desinformação,outras tantas de má fé mesmo.Esse artigo se destina àqueles que estão interessados em saber as verdadeiras razões dessa mudança.

PORQUE PARAMOS DE CRIAR SAANEN
Foram várias as razões que nos levaram a deixar de criar cabras da raça Saanen:
MISSÃO- a primeira e mais forte razão para termos parado nossa criação de Saanen foi uma agradável sensação de missão cumprida.Em 2003, quando retomamos o rebanho de nossa família, fizemos um plano de negócio para um horizonte de 10 anos,onde definimos nossa missão:”viabilizar economicamente uma criação de cabras leiteiras da raça Saanen, com a venda de leite e animais saudáveis, produtivos e bem conformados,com responsabilidade social e respeito ao bem estar animal e meio ambiente.”
Analizando essa missão em seus detalhes, chegamos ao seguinte.

“VIABILIZAR ECONOMICAMENTE”
Em relação a esse aspecto, podemos dizer que as contas do Capril estão equilibradas, sem nenhum endividamento, e os recursos deixado em caixa estão sendo suficientes para financiar o novo projeto.

“COM A VENDA DE LEITE”...Foi desenvolvido um mercado que funciona de maneira satisfatória e representava aproximadamente 50% do faturamento do Capril, mas era instável e menor do que nossa capacidade de produção, o que elevava o peso dos custos fixos e tornava o projeto vulnerável nesse item.

“VENDA DE ANIMAIS’’....A outra fonte de receita, correspondente aos outros 50% do faturamento-o mercado era firme, com bons preços e liquidez, mas com um número de animais pequeno, com o tamanho do rebanho e consequentemente de animais disponíveis para venda limitada pelo volume de leite que comercializávamos;tentamos um projeto de TE para equacionar essa questão, mas os resultados foram abaixo do necessário.
No final 2007 o rebanho estava absolutamente saudável., sem nenhum animal com, Linfadenite Caseosa, CAE, teto perdido e nenhum sinal de doenças infecto-contagiosa. A produção de leite média diária estava acima de 5Kg,considerando todas as cabras em lactação, todo rebanho era PO, com documentação regular
. Acreditamos no potencial econômico da caprinocultura, e estamos na atividade porque queremos ganhar dinheiro com ela.Um dinheiro responsável, com ética e responsabilidade social, mas sem hipocrisia de colocar os interesses dos outros a frente dos próprios interesses.Assim a decisão passou por uma cuidadosa análise de mercado.Na nossa percepção o mercado de Saanen segue forte e consistente,mas, embora firme, pouco elástico, sem perspectiva de crescimento expressivo em médio prazo, exceto situações de grande êxito como os programas dos governos do Rio Grande do Norte e Paraíba.

PORQUE CRIAR ANGLO-NUBIANA.

Nossa nova missão é desenvolver um sistema de produção de cabras Anglo-Nubianas aplicável a diferentes propriedades, viabilizando aconomicamente com a venda de leite, carne e animais saudáveis, produtivos e bem conformados, comercializados para produção, com responsabilidade social e respeito ao bem estar do animal e meio ambiente, na nossa percepção, o mercado de animais Anglo-Nubiano segue, embora muito concorrido em algumas regiões, mas pouco explorado em outras,na nossa por exemplo e com fortes evidências de um crescimento expressivo a curto prazo, sem um teto perceptível nesse momento.A seleção pode ser focada no leite, na carne, ou na dupla aptidão, e a criação desenvolvida em sistema de produção com os mais diversos níveis tecnológicos. A Anglo-Nubiana é uma mãe fantástica, com elevada fertilidade, baixa sazonalidade e alta prolificidade, além de uma excelente habilidade materna, decorrente de sua atenção com as crias e a elevada produção de LEITE,o que abre mais dois mercados:mães em cruzamentos de carne e receptoras, em programas de TE e FIV. De um lado temos um consumo per capita brasileiro de carne de caprinos muito baixo, e por outro uma carne que se ajusta muito bem aos desejos do consumidor moderno:saborosa e magra.Paralelamente a isso, o franco desenvolvimento da ovinocultura de corte vem criando toda a infra- estrutura necessária para a produção, abate, transformação e comercialização da carne caprina, com um diferencial competitivo muito importante a favor dos CAPRINOS, hoje já existe um nivelamento de preço para carne de ovino, ditado pelo mercado internacional(Uruguai,Argentina,Chile, Austrália e Nova Zelândia) o que não ocorre com a carne de caprinos, uma vez que os grandes rebanhos dessa espécie se encontram em paises com alto índice populacional, elevando o consumo interno dessas carnes e ineficientes na produção e exportação de produtos agropecuários, completamente diferente do que ocorre na ovinocultura, consequentemente, o ingresso da carne de caprino no Brasil de outros paises é menor do que ocorre com a de ovino, não havendo portando um balizador de preço externo.Em nosso projeto o leite excedente, produzido além do que os cabritos irão mamar, será ordenhado, assim continuaremos a atender o mercado que temos trabalhado a anos, mas com um diferencial que pode significar um importante diferencial competitivo:O MAIOR TEOR DE SÓLIDOS DO LEITE DAS NUBIANAS IMPLICA EM MAIOR RENDIMENTO QUEIJEIRO E DE OUTROS DERIVADOS, E PRODUTOS DE QUALIDADE SUPERIOR EM TEXTURA E SABOR.Além disso,esse leite pode ser produzido em condições mais simples.A utilização de aleitamento natural implica em eliminar a mão de obra do aleitamento artificial e uma das ordenhas do dia, permitindo inclusive a suspensão da ordenha de um dia da semana(domingo)
Nesse momento o que mais temos são desafios, todo um sistema de produção a ser desenvolvido, testado e validado.Nesses poucos meses que estamos com as Anglo –Nubianas só vem se confirmando que a maneira de cria-las é completamente do que estávamos habituados, um enorme estimulo para a busca de novos conhecimentos e agraciado pelo aprendizado constante.
Não mudamos nossa opinião sobre as cabra Saanen: a consideramos a principal e mais eficiente cabra leiteira do mundo, EMBORA MUITO EXIGENTE, Com relação a Anglo-Nubiana, realmente mudamos nossa opinião sobre ela, .A bem da verdade a “redescobrimos”, pois foi com ela que nossa família iniciou suas atividades na caprinocultura.De uns tempos para cá começamos a vê-la com os olhos de nossos ancestrais, mas juntando a isso o aprendizado de todos esses anos.No nosso entendimento, a sua versatilidade e a amplitude de condições em que pode ser criada são seus principais atrativos.
Por fim, que bom viver experiências novas a cada dia, e fortalecer algumas opiniões e contar que não estava errado assim, mas mudar outras tantas a partir das experiências vividas.
Revista:Cabras e Ovelhas.

sábado, 31 de janeiro de 2009

eleições no clube do berro

Finalmente o acordo prevaleceu,o clube do berro se uniu para melhor, depois de 2 semanas de negociações, prevaleceu o bom senso, as duas chapas se fundiram depois de apresentarem muitas propostas, e depois de muitas discursões, sempre pensando no bem daquela instituição ,ficou definido que o presidente será o Dr. Francisco Leitão e o vice Sr. Daniel Pimentel e o Sr.Manoel Fontenelle ocupará o cargo de diretor financeiro, nunca em tempo algum o clube do BERRO exercitou tanto a democracia, uniu os melhores nomes para dar o impulso tanto desejado por todos os criadores, serão efetuadas as melhorias dos galpões, a criãção de leilões, de eventos em parceria com o governo do estado e a in iciativa privada, a abertura das barreira sanitárias,sonho acalentado por todos os criadores, e muitos outros que só trarão beneficios para aquela entidade e seus associados, vale ressaltar a união de todos para que isso ocoresse criando uma grande oportun idade para fortalecer a agricultura familiar.
Parabéns a todos que lutaram para que este momento acontecesse,reconhecendo o nome de Leitão para gerir os destinos de nosso clube.

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

VENDA DE REPRODUTORES.

O condominio Anglo de valor tem para pronta entrega animais de alta genética já prontos para servir.
Fones: --85-99.12.18.45 96-27-77-36 99-44-53-62

A beleza e o porte do ANGLO NUBIANO


Felipão.


Condominio Anglo de Valor

BOM SENSO-ELEIÇÕES NO CLUBE DO BERRO.
Os criadores associados ao Clube do Berro, estão euforicos com a decisão do Dr. Francisco Leitão para presidência do mesmo,Leitão como todos sabem e conhecem é uma pessoa muito ligada aquela entidade, e todos conhecem a dedicação dele para com o setor da ovinocaprinocultura, Leitão é considerado um dos melhores criadores da raça AngloNubiano do pais,seu trabalho junto a secretária de agricultura no sentido de promover eventos de destaques como a Expocrato é visivel,e esse trabalho ele que trazer para cá, para expoece, expoiverno e outros eventos, Leitão esta debruçado para conseguir junto ao Ministério da Agricultura a liberação das barreira sanitárias de nosso estado, isto irá permitir a todos os criadores a condição de melhorarem seus rebanhos para realização de grandes negocios com os outros estados, e isto não é só, quem conhece Leitão sabe de todos seus projetos para aquela entidade, vamos nós, todos criadores ,nos envolvermos nesta luta,vamos defender este nome para o bem de nossa associação ,pelo bem dos criadores de nosso estado, e pelo impulso que será dado em todos os segmentos do setor, inclusive na agricultura familiar.
NO BRASIL:PF prende 27 pessoas em operação de combate a leite adulteradoVinte e sete pessoas foram presas, nesta segunda-feira, pela PolíciaFederal (PF), durante a Operação Ouro Branco, nos municípios mineirosde Uberaba, no Triângulo Mineiro e Passos, no sul do país, paracombater crimes contra a saúde pública cometidos por cooperativassuspeitas de adulterar leite.Leite adulterado era vendido para Parmalat e Calu, diz PFA Parmalat e a Calu (Cooperativa Agropecuária Ltda. de Uberlândia)estavam entre os compradores de leite das cooperativas Coopervale(Cooperativa dos Produtores de Leite do Vale do Rio Grande) e Casmil(Cooperativa Agropecuária do Sudoeste Mineiro), segundo a PolíciaFederal. As cooperativas são acusadas de "batizar" o leite longa vidacom substâncias que aumentavam seu volume e que disfarçavam suas máscondições de conservação.SABE COMO ESSA HISTÓRIA TERMINOU ?Cooperativa envolvida em fraude retoma produção de leiteO Ministério da Agricultura autorizou nesta quinta-feira, aCooperativa Agropecuária do Vale do Rio Grande (Copervale) da cidademineira de Uberaba a voltar a produzir leite longa vida. A produçãoestava paralisada desde outubro do ano passado, quando a PolíciaFederal (PF) descobriu um esquema de adulteração do produto com aadição de produtos químicos como acetona, soda cáustica e soro em suaformulação.NO PAÍS SÉRIOChina anuncia pena de morte no escândalo do leiteUm tribunal chinês condenou à morte dois homens e outros 10 à prisãopor causa do escândalo da contaminação do leite que envenenou criançasna China e obrigou a "recalls" de derivados do leite em todo o mundo.Tian Wenhua, de 66 anos, ex-presidente da empresa de laticínios quefoi o epicentro do escândalo, está entre os três condenados à prisãoperpetua. Ela foi acusada de inicialmente acobertar a adulteração. Umaoutra pessoa recebeu uma suspensão da condenação à morte, sentença quegeralmente é mudada para prisão perpétua, enquanto outros seisreceberam penas que variam de 5 a 15 anos de prisão.

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

A Vez do leite de cabra.
Em Taperoá(Paraiba), os criadores de cabra,"a vaca dos pobres",estão vibrando.Cerca de 1.000 litros de leite já são pruduzidos todos os dias.O programa do leite que caminha ao lado do bolsa familia e esta dentro do fome zero,integra o programa Social do Governo Lula e encontra seus objetivos de maneira espetacular.Na cidade de aproximadamente 8 mil habitantes, já são dezenas de modestos criadores de cabras-número que cresce cada vez mais-inscritos na associação de Criadores Associados dos Cariris Velhos Ltda.O programa do leite compra toda a produção leiteira desses associados e distribui 1 litro do produto para cada criança menor de 7 anos matriculadas nas escolas públicas, residência do minicipio e campo.Cada produtor do leite de cabra recebe R$1,00 por litro produzido.pasteurizado e ensacado para distribuição gratuita.Enquanto os criadores têm a renda para alimentar seus rebanhos e manter as despesas domésticas,os pequenos estudantes e familias recebem,através do bom e puro leite de cabra,os principais nutrientes básicos necessários para um bom funcionamento de seu organismo.Isso vem reduzindo os indices de mortalidade infantil da cidade
Essa sim é uma ideia que deve ser imitada pelos governantes deste pais.
(revista o BERRO)
FEBRE AFTOSA.
A febre aftosa é uma doença causada por um virus altamente contagioso e a vacina deve ser aplicada duas vezes por ano conforme o calendário do Ministério da Agricultura.É justamente neste periodo de vacinação,que os criadores devem aproveitar para realizar o controle dos principais parasitas internos e externos, como helmintos, os carrapatos e o berne.Dessa forma,é possivel diminuir o número de manejo,reduzir o os rebanhos.Segundo a portaria n. 121 de março 1993 do MAPA, a qual apresenta normas vigentes para o combate da doença, não inclui ovinos e caprinos na obrigação de serem vacinados, como aconteçe com bovinos e bubalinos.Por outro lado, a portaria n. 173 de novembro de 1995, diz que a vacinação massiva e sistemática é viavel e obrigatória somente em casos em que o MAPA julgar necessário,como por exemplo, em caso de surtos da doença em uma determinada região, inclusive para suinos.A vacina contra a febre aftosa não possui efeito curativo,ela é apenas preventiva.
(Revista o Berro)

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

segunda-feira, 19 de janeiro de 2009




Encontro dos criadores de Anglo, é sempre uma festa.

A beleza inigualável do Anglo.
NOTÍCIA:
Cobertura de 83% contra aftosa deve elevar Piauí
Os técnicos da Agência de Defesa Agropecuária do Estado (Adapi) estão otimistas quanto ao índice de vacinação contra aftosa. As estimativas atuais de cobertura colocam o Piauí mais perto da mudança de risco. "Pelos dados levantados sobre venda de vacina, esperamos cobertura de 83%", avaliou o diretor do órgão, José Antônio Filho. Ele acrescentou que índice nesse patamar é um dos pré-requisitos exigidos pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) quanto à mudança de risco desconhecido para risco médio. Ele alertou, porém, que essa cobertura só será atingida se os pecuaristas fizerem sua parte, certificando a vacina.
Uma equipe de auditores do Mapa está no Piauí, levantando dados como controle de rebanho. A auditoria é uma primeira etapa do processo de classificação do Governo Federal sobre mudança de risco para aftosa. Os técnicos do Mapa estão visitando escritórios da agência e conversam com produtores em um trabalho educativo.
A segunda etapa da auditoria será feita em março de 2009, quando os técnicos do Mapa voltarão ao Estado para uma nova avaliação, desta vez acrescentando os dados de cobertura vacinal.
Campanhas bem sucedidas
Segundo José Antônio Filho, o Piauí vem realizando sucessivas campanhas de vacinação bem sucedidas, com índices de cobertura beirando os 80%. Na última etapa de vacinação, por exemplo, o Piauí obteve índice de 81% para o rebanho de 1,6 milhão de cabeças de gado. "A exigência é por cobertura acima de 80%", disse.
De acordo com o calendário de vacinação, a venda de vacinas terminou no dia 30 de novembro. Os pecuaristas têm até 15 de dezembro, próxima segunda-feira, para certificar a imunização do gado. E a Adapi tem até 30 deste mês para concluir seu relatório e enviar os dados ao Mapa para avaliação.
Mudança de risco
José Antônio Filho disse que, no momento presente, a preocupação é com a certificação, que deve ser feita pelos produtores. Ele alertou para a importância da certificação, porque é com base nela que o órgão federal avaliará se o Estado está pronto para ser reclassificado, o que ocorrerá em março do próximo ano.
Atualmente, o Piauí é classificado como de risco desconhecido para aftosa, o que significa que não pode comercializar seu rebanho. Se tudo correr bem, como os técnicos da Adapi atestam em uma avaliação preliminar, a auditoria que será feita em março deverá resultar na reclassificação para risco médio, abrindo possibilidade de trânsito livre para o gado produzido no Estado. Assim os pecuaristas piauienses poderão conquistar novos mercados para sua produção.
Extraido de: Governo do Estado do Piauí

sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

" O MODISMO VAI E VEM, SOMENTE O ANGLO PERMANECE"
O condominio Anglo de valor nasceu de uma ação de duas pessoas obstinadas por uma raça que está presente entre nós há mais de 50 anos,trata-se do Anglo Nubiano, caprino de grande porte de uma resistência a toda prova e totalmente adptado ao sertão nordestino.trata-se de um animal de uma elegância sem igual, de um porte invejavel e de uma padronização sem igual,o anglo nubiano além de ter todas estas qualidades é o unico animal da raça caprino que possui aptidão dupla(carne e leite), é um animal docil ,inteligente, resistente e é capaz de acabar com a desnutrição de familias esquecidas pelas autoridades que comandam este pais, produz leite e carne de uma qualidade sem igual, pensando nisso o Condominio Anglo de Valor vem realizando um trabalho de melhoramento desta raça efetuando cruzamento com espécies da mesma raça e de origens diferentes ,proporcionando aos criadores desta a oportunidade de possuirem animais de uma melhor qualidade.A prova é tanta de nosso sucesso é que recebemos visitas de todos os cantos deste Brasil,que querem conhecer nosso trabalho e adquerirem animais para melhoria de seus rebanhos, isso nos deixa felizes e nos mostra que estamos no caminho certo, e o trabalho não cessa nunca, estamos sempre atentos cuidando cada vez mais em produzir o que é de melhor para fazermos desta raça um sinônimo em caprinos.
"O MODISMO VAI E VEM, SOMENTE O ANGLO PERMANECE"